foto de Jorge Da Silva

Jorge Da Silva √© cientista pol√≠tico. Doutor em Ci√™ncias Sociais pela UERJ e professor-adjunto / pesquisador-visitante da mesma universidade. Professor conteudista do Curso EAD de Tecn√≥logo em Seguran√ßa P√ļblica (UFF - CEDERJ / CECIERJ). Criado no hoje chamado Complexo do Alem√£o, no Rio, serviu antes √† PM, corpora√ß√£o em que exerceu o cargo de chefe do Estado-Maior Geral. Foi tamb√©m secret√°rio de Estado de Direitos Humanos/RJ. √Č vice-presidente da LEAP Brasil ('Law Enforcement Against Prohibition Brazil' (Agentes da Lei Contra a Proibi√ß√£o)).

Ver perfil

Os conteúdos dos textos deste Blog podem ser usados livremente. Pedimos, no caso, que sejam consignados os devidos créditos, com a citação do autor e da fonte.

 



 

 

DEC√ĀLOGO DA PAZ CONTRA A CRIMINALIDADE

2 Comentários, deixe o seu

(Nota prévia. Republicação de postagem de minha página no Facebook):

Amiga e amigo do Face, o que acha desse Dec√°logo da Paz? Meio longo, mas…

DEC√ĀLOGO DA PAZ” CONTRA A CRIMINALIDADE

1. Encarcere, preventivamente, os autores dos chamados ‚Äúcrimes convencionais‚ÄĚ (crimes geralmente praticados por pessoas das camadas populares, como furtos, roubos, homic√≠dios, drogas), autores esses que somam, hoje, 290 mil presos provis√≥rios dos 726 mil encarcerados do Brasil, e os mantenha presos, sem prazo.¬†
2. N√£o encarcere, provisoriamente, os acusados de crimes ‚Äún√£o convencionais‚ÄĚ (crimes geralmente praticados por pessoas das altas camadas, envolvidas com fraudes e propinas milion√°rias, lavagem de dinheiro desviado de obras, da sa√ļde e da educa√ß√£o para para√≠sos fiscais), e os deixe aguardar o julgamento e a senten√ßa definitiva em liberdade, sem prazo;
3. Mostre na TV, aos presos ‚Äúconvencionais‚ÄĚ e suas fam√≠lias, as mans√Ķes e apartamentos de luxo dos autores de crimes ‚Äún√£o convencionais‚ÄĚ, muitos dos quais, defendidos por bons advogados, s√£o beneficiados pela Justi√ßa com pris√£o domiciliar, com e sem tornozeleira, desfrutando, no lar, o produto dos malfeitos.
4. Defenda ser direito dos autores de crimes ‚Äún√£o convencionais‚ÄĚ, portadores de foro privilegiado e imunidade parlamentar, que a sua condena√ß√£o definitiva s√≥ seja efetivada depois de se esgotarem todos os recursos, possibilitando-lhes buscar, dentro da lei, o benef√≠cio da prescri√ß√£o;
5. Defenda tamb√©m que os autores de crimes ‚Äún√£o convencionais‚ÄĚ e aqueles com curso superior (ainda que tenham praticado crimes ‚Äúconvencionais‚ÄĚ) n√£o sejam misturados com os criminosos ‚Äúconvencionais‚ÄĚ nos in√≥spitos pres√≠dios brasileiros, j√° que, por lei, t√™m direito a ‚Äúpris√£o especial‚ÄĚ enquanto a senten√ßa n√£o transitar em julgado;
6. Acione a pol√≠cia em caso de manifesta√ß√Ķes p√ļblicas ruidosas que questionem esse modelo de justi√ßa criminal, pois tais manifesta√ß√Ķes ferem a ordem p√ļblica, a qual deve ser mantida com rigor, e os mais exaltados, presos;
7. Discorde, com veem√™ncia, daqueles que falam que o sistema penal brasileiro √© elitista, e mostre que o Brasil, como reza a Constitui√ß√£o, √© um Estado Democr√°tico de Direito, tendo como princ√≠pio fundamental a ‚Äúigualdade de todos perante a lei‚ÄĚ;
8. Some-se aos que defendem a pena de morte e a pris√£o perp√©tua para criminosos ‚Äúconvencionais‚ÄĚ e, no caso dos criminosos ‚Äún√£o convencionais‚ÄĚ, concorde com a afirma√ß√£o de que, em vez de pris√£o, os mesmos sejam punidos com o que mais lhes doeria, o bolso, ou seja, que devolvessem o dinheiro roubado, ainda que parte dele;
9. Concorde com os que chamam de traidor da P√°tria, de subversivo comunista e de defensor de bandidos quem questiona essa ordem e esse arranjo penal ou fale em desigualdade social e em direitos humanos;
10. Blinde o seu carro, se puder, arme-se, ponha grades e trancas em casa, não saia à noite, e vá dormir o sono dos justos, em paz.

2 Comentários, deixe o seu   |    Imprimir este post Imprimir este post    |   


2 comenários to “DEC√ĀLOGO DA PAZ CONTRA A CRIMINALIDADE”

  1. Tom Telles disse:

    …e assim nascer√£o centenas de guris similares ao guris de Chico Buarque de Holanda…
    Causa e efeito

Envie o comentário


0/Limite de 1800 caracteres

Add video comment