foto de Jorge Da Silva

Jorge Da Silva √© cientista pol√≠tico. Doutor em Ci√™ncias Sociais pela UERJ e professor-adjunto / pesquisador-visitante da mesma universidade. Professor conteudista do Curso EAD de Tecn√≥logo em Seguran√ßa P√ļblica (UFF - CEDERJ / CECIERJ). Criado no hoje chamado Complexo do Alem√£o, no Rio, serviu antes √† PM, corpora√ß√£o em que exerceu o cargo de chefe do Estado-Maior Geral. Foi tamb√©m secret√°rio de Estado de Direitos Humanos/RJ. √Č vice-presidente da LEAP Brasil ('Law Enforcement Against Prohibition Brazil' (Agentes da Lei Contra a Proibi√ß√£o)).

Ver perfil

Os conteúdos dos textos deste Blog podem ser usados livremente. Pedimos, no caso, que sejam consignados os devidos créditos, com a citação do autor e da fonte.

 



 

 

MALDITA GENI, BENDITA GENI! (II)

6 Comentários, deixe o seu

.

Outro dia, colocaram culpa na PM pelo caos na seguran√ßa do Rio. Agora, em mat√©ria de oglobo.com (21/05/2016), l√™-se: ‚ÄúDefensoria P√ļblica critica a√ß√£o ‘desproporcional’ da pol√≠cia em desocupa√ß√£o da Secretaria de Educa√ß√£o‚ÄĚ. N√£o entro no m√©rito da cr√≠tica nem da forma como se deu a a√ß√£o, mas n√£o vi ningu√©m, nem mesmo a Defensoria ou o jornalista que assina a mat√©ria perguntar de onde partiu a ordem para que a PM usasse a for√ßa. Pergunto eu: quem deu a ordem, j√° que n√£o foi expedido mandado judicial para a reintegra√ß√£o de posse?… Republico, a prop√≥sito, postagem de dois anos e meio atr√°s:

MALDITA GENI, BENDITA GENI!

N√£o sei bem por que, estou pensando na Geni, a que era desprezada por todos, mas a quem a cidade recorreu para salv√°-la (a cidade), e que depois de salva tornou a desprez√°-la. Vivo balbuciando uns versos do nosso Chico Buarque:

“A cidade apavorada / Se quedou paralisada / Pronta pra virar geleia, /
Mas do zepelim gigante / Desceu o seu comandante / Dizendo: ‚ÄúMudei de ideia / Quando vi nesta cidade tanto horror e iniquidade, resolvi tudo explodir, / Mas posso evitar o drama se aquela formosa dama esta noite me servir‚ÄĚ.

[…]

‚ÄúVai com ele, vai Geni! Vai com ele, vai Geni! Voc√™ pode nos salvar! Voc√™ vai nos redimir! / Voc√™ d√° pra qualquer um! Bendita Geni!‚ÄĚ

[…]

“Joga pedra na Geni! Joga bosta na Geni! / Ela é feita pra apanhar! Ela é boa de cuspir! Ela dá pra qualquer um! Maldita Geni!

outubro 17th, 2013

 

6 Comentários, deixe o seu   |    Imprimir este post Imprimir este post    |   


6 comenários to “MALDITA GENI, BENDITA GENI! (II)”

  1. Adilson da Costa Azevedo disse:

    Caro Jorge,

    A resposta √© simples: quando d√° certo foi a interven√ß√£o eficaz de quem deu a ordem e a√≠ aparecem fotos, entrevistas de autoridades etc. Quando d√° errado “a culpa √© da PM”. Quantas vezes j√° vimos esse filme?

  2. jorge disse:

    Meu ponto, Adilson, é que se trata de um conluio. Por que os defensores não fizeram o questionamento sobre quem deu a ordem (se é que não fizeram mesmo?) E o jornalista, teria passado batido ou não quis perguntar? Ou é despreparo? Uma coisa é certa: a decisão de usar a força não foi da PM.

  3. José Medina disse:

    A fun√ß√£o da Pol√≠cia Militar √© ostensiva, recebe ordem direto do governador, com a cria√ß√£o da UPP, o secret√°rio de seguran√ßa, mandou a PM, ir para cima da comunidade e os moradores acreditando no falso para√≠so, da politicagem, come√ßaram dar entrevistas, foram todos mortos e as suas fam√≠lias, por repres√°lia e a PM e comunidade numa guerra, sem fim. Por que nas favelas n√£o existem, f√°brica de armas e nem de drogas. E qualquer pessoa desinformado sabe, que s√≥ a Educa√ß√£o de Qualidade, √© o √ļnico instrumento de transforma√ß√£o humana.

  4. Adilson da Costa Azevedo disse:

    Caro Jorge,

    “N√£o √© admiss√≠vel, pois, que se deixe √† idiossincrasia dos pr√≥prios policiais, sejam civis seja militares, as decis√Ķes pol√≠ticas sobre o QUE FAZER e COMO FAZER.(grifos do autor) Cumpre, sim, ao Poder P√ļblico estadual instrumentalizar a Pol√≠cia Militar para as tarefas de pol√≠cia ostensiva e a Pol√≠cia Civil para as tarefas de pol√≠cia judici√°ria.”
    Atribui√ß√Ķes Constitucionais da Pol√≠cia Civil e da Pol√≠cia Militar, Jorge da Silva, Livro de Estudos Jur√≠dicos, Instituto de Estudos Jur√≠dicos, Rio de Janeiro,1993, p√°g. 512.
    Assim, parece que nada mudou. O Estado continua a dizer o que fazer. O como fazer permanece com a PM. Creio que o interesse se esgota com a atua√ß√£o da PM, seja no Nordeste, seja no Carandiru e outros casos. Possivelmente, a an√°lise se completa na atua√ß√£o da PM, n√£o havendo mais interesse pela responsabiliza√ß√£o. Parece que esse desinteresse dos atores citados em prosseguir com o esclarecimento dos fatos, tende mais para os aspectos culturais geradores da “geni” do que para conluio.

  5. jorge disse:

    Pois √©, Adilson, o Estado diz o que fazer, mas no interesse pol√≠tico-eleitoral. O povo e as corpora√ß√Ķes que se danem. E as pol√≠cias parecem carros desgovernados, sem farol e sem freios.

  6. jorge disse:

    Verdade, Medina, drogas e armas não nascem nas favelas. E o governo vendeu a ideia de paraíso, sim, com as UPPs.

Envie o comentário


0/Limite de 1800 caracteres

Add video comment