- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

CASO TAÍS ARAÚJO. ENTRE SUTILEZAS E EXPLICITUDES

.

Mais um caso de racismo explícito, desta vez contra a atriz negra Taís Araújo, alvo de ofensas na internet. Lamentavelmente, não se pode mais dizer que são casos isolados. Hoje, proliferam manifestações racistas: – na internet (com exteriorizações de desprezo e ódio); – nas relações tête-à-tête (com xingamentos e agressões físicas); – e na prática religiosa (com pedradas, vandalização e incêndios de templos dos que professam religiões “diferentes”). Tudo sem contar as reações raivosas de conservadores a qualquer questionamento da ordem social brasileira, de indisfarçável conotação racista (racismo institucional-estrutural), o que é sistematicamente negado, apesar das gritantes evidências.

Já no início da década em 1990, o brasilianista norte-americano George Reid Andrews concluía pesquisa, com base em dados do período 1940-1987, que demonstrava uma tendência curiosa: os Estados Unidos em direção a menos discriminação racial, e o Brasil em direção a mais. Parece que não errou.

Triste, mas é fato. Esse quadro tem tudo para piorar, a não ser que a sociedade, em benefício dos brasileiros e brasileiras de todas as cores, admita que o problema existe; que não será insistindo no mito da democracia racial, ou seja, de que as oportunidades são iguais para todos, que se conseguirá construir uma sociedade verdadeiramente democrática.