foto de Jorge Da Silva

Jorge Da Silva é cientista político. Doutor em Ciências Sociais pela UERJ e professor-adjunto / pesquisador-visitante da mesma universidade. Professor conteudista do Curso EAD de Tecnólogo em Segurança Pública (UFF - CEDERJ / CECIERJ). Criado no hoje chamado Complexo do Alemão, no Rio, serviu antes à PM, corporação em que exerceu o cargo de chefe do Estado-Maior Geral. Foi também secretário de Estado de Direitos Humanos/RJ. É vice-presidente da LEAP Brasil ('Law Enforcement Against Prohibition Brazil' (Agentes da Lei Contra a Proibição)).

Ver perfil

Os conteúdos dos textos deste Blog podem ser usados livremente. Pedimos, no caso, que sejam consignados os devidos créditos, com a citação do autor e da fonte.

 



 

 

RACISMO NA OPERAÇÃO LAVA-JATO

4 Comentários, deixe o seu

.

Na galeria das pessoas delatadas como supostas beneficiárias do desvio de recursos da Petrobrás, conforme divulgado pela mídia ontem, 19/12, aparecem as fotos de 28 políticos influentes. Tais fotos se somam às de outras pessoas em galeria anterior, com doleiros, altos dirigentes da petroleira, empresários e executivos de grandes construtoras (e fotos em galerias de outros escândalos…). Não entro no mérito. Meu ponto é outro; é o fato de nenhuma pessoa de tez escura aparecer em qualquer das galerias, o que não é um dado supérfluo, mas naturalizado…

Considero esse ponto importante porque há brasileiros de boa fé que, baseando-se no bom nível da convivência sócio-étnica entre nós, sobretudo no espaço público, insistem em afirmar que racismo é mazela de outras sociedades. Ora, uma coisa são as relações interpessoais, tête-à-tête, quando se considera inaceitável ou politicamente incorreto ofender ou discriminar alguém em função da cor da pele, origem ou classe social; outra é a persistente presença do chamado racismo institucional (diferente de racismo individual, na explicação do ativista Stokeley Carmichael). A pergunta a fazer é a seguinte: por que não há um escurinho ou escurinha entre os delatados como partícipes dos crimes da operação Lava-Jato? Claro está: até no crime a sociedade brasileira se estrutura com base no racismo institucional. Os policiais em geral devem estar aturdidos. Não podem mais gabar-se de que conhecem um criminoso “no olho”.

 

4 Comentários, deixe o seu   |    Imprimir este post Imprimir este post    |   


4 comenários to “RACISMO NA OPERAÇÃO LAVA-JATO”

  1. Newton de Oliveira disse:

    Muito arguto seu comentário.
    É um angulo que jamais foi abordado e que certamente tem deixado, como você diz, aturdidos , os policiais , na sua tradição.

  2. jorge disse:

    Caro Newton,
    Será que nó nós vemos isso? A mídia finge não ver.

  3. Márcio Guimarães disse:

    Sempre enxergando o que ninguém vê… rsrs. Seria o olhar do escuro ou no escuro?
    Um dia eu chego lá!!!
    Forte abraço…

  4. jorge disse:

    Caro Márcio,
    Os de boa fé não veem mesmo. Os de má fé veem,mas fingem não ver. (Ou dizem: “Bobagem, no Brasil é todo mundo misturado”).

Envie o comentário


0/Limite de 1800 caracteres

Add video comment