- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

O FUTURO DAS UPPs: “O SONHO EM AGONIA”

.

Não me contive diante do artigo de Aydano Motta em O Globo, no qual faz lúcida e corajosa análise sobre as UPPs e a violência do Rio. Entendo ser leitura obrigatória para quem se ocupa sinceramente dos assuntos da segurança pública. (Íntegra do artigo no link adiante)

Sob o título “O sonho em agonia”, Aydano preocupa-se com o destino das UPPs. Lamenta que o ensaio para a escolha do samba-enredo da Mangueira tenha sido cancelado por causa da guerra entre facções pelo controle do tráfico naquela ‘comunidade’, mesmo com a presença da UPP. Fala da migração de marginais, “exportados das favelas cariocas”; do fato de a “espiral criminosa” não ter poupado nem o cardeal-arcebispo do Rio de Janeiro; do envolvimento de policiais com a corrupção e milícias, e de outros fatos lamentáveis. Teme que as UPPs acabem no “mausoléu das boas iniciativas abandonadas à própria sorte”, como aconteceu com os Cieps.

Aydano tem razão. De minha parte, entendo que é preciso não deixar acontecer com as UPPs o que aconteceu com iniciativas anteriores em ‘comunidades’, como os DPOs (Destacamentos de Policiamento Ostensivo), os GEPAEs (Grupamentos de Policiamento em Áreas Especiais) e os CCDCs (Centros Comunitários de Defesa da Cidadania), iniciativas sempre desqualificadas por razões insondáveis (…) ou abandonadas por novos detentores do poder, marca registrada do nosso subdesenvolvimento político-administrativo. Mudam-se os rótulos, sem maior preocupação em mudar substancialmente os conteúdos.

Por fim, Aydano Motta lamenta que o trabalho não tenha sido terminado, e aparenta pessimismo ao dizer que “agora pode ser tarde”. Não, digo eu; não é tarde. Há consenso em que não basta ocupação policial-militar, como o próprio secretário de segurança admite. O que se impõe ao poder político e à sociedade civil é a necessidade de não tomar o projeto como panaceia, nem como marca político-eleitoral. O projeto deve ser levado adiante como parte do plano geral de segurança da cidade e do estado, em proveito de toda a população, com investimentos também em programas de prevenção primária.  Em suma: mais foco e luz no conteúdo e menos no rótulo.

Sem maiores comentários, melhor ler o artigo de Aydano na íntegra. É só clicar no link abaixo:

http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/chopedoaydano/posts/2014/09/18/o-sonho-em-agonia-550146.asp [1]