foto de Jorge Da Silva

Jorge Da Silva é cientista político. Doutor em Ciências Sociais pela UERJ e professor-adjunto / pesquisador-visitante da mesma universidade. Professor conteudista do Curso EAD de Tecnólogo em Segurança Pública (UFF - CEDERJ / CECIERJ). Criado no hoje chamado Complexo do Alemão, no Rio, serviu antes à PM, corporação em que exerceu o cargo de chefe do Estado-Maior Geral. Foi também secretário de Estado de Direitos Humanos/RJ. É vice-presidente da LEAP Brasil ('Law Enforcement Against Prohibition Brazil' (Agentes da Lei Contra a Proibição)).

Ver perfil

Os conteúdos dos textos deste Blog podem ser usados livremente. Pedimos, no caso, que sejam consignados os devidos créditos, com a citação do autor e da fonte.

 



 

 

RIO É ZONA SUL. NITERÓI É ZONA SUL… E TRAFICANTES ABDUZIDOS

3 Comentários, deixe o seu

.

Dois pontos se destacam na matéria de O Globo de ontem, 05/01/2014. Ao ler a chamada na primeira página (“Em Niterói, menos PMs, mais crimes), imaginei: “Bem, agora vai, Niterói vai entrar no mapa da segurança do Estado”. A chamada, que me animou (moro em Niterói), não correspondeu, no entanto, ao que se lê na longa matéria, que tratou problemas de São Francisco e Icaraí, bairros nobres onde as taxas de criminalidade violenta não são maiores do que as da cidade, como sendo “os problemas” de toda a Niterói. Repete-se aqui o padrão carioca, onde os moradores de áreas afluentes, com a ajuda de vizinhos midiáticos, pressionam as autoridades para canalizar os efetivos policiais para o seu bairro, a sua praia, a sua rua, como se a polícia não fosse estadual, com a missão de prover serviços de segurança para todo o município e todo o estado (16 milhões de habitantes em 92 municípios), com isso sacrificando os policiais, em particular os PMs. No caso em foco, idem, como se o município de Niterói se resumisse a dois dos seus 52 bairros, e não contasse com mais de 70 “comunidades”. Na matéria, os exemplos de violência são de casos ocorridos nesses dois bairros. Óbvio que são bairros de Niterói, mas não são a Niterói, embora se deva reconhecer que a preocupação dos seus moradores faz sentido.

O outro ponto refere-se ao cabo de guerra entre as autoridades da segurança e moradores de áreas ditas “periféricas”, estes afirmando que os traficantes saídos de comunidades com UPPs migraram para outras áreas e municípios, e as autoridades dizendo que não. Eis que, alvíssaras!, o secretário de Ordem Pública de Niterói, coronel PM Marcus Jardim, que já comandou o 12º BPM, Niterói, e o Comando de Policiamento da Capital do estado, não tem dúvida sobre algo que a população de Niterói sabe há muito. Entrevistado, foi direto: “– Bato na tecla de que há marginais de fora agindo aqui. E é notório que um grande efetivo de policiais foi direcionado para a capital”. Bem, se nenhum dos dois lados da corda está com a razão, a conclusão só pode se uma: não tendo sido presos nem migrado para outros lugares, os traficantes devem ter sido abduzidos por alguma nave.

PS. Não adianta insistir: não vou me mudar da Zona Norte…

 

3 Comentários, deixe o seu   |    Imprimir este post Imprimir este post    |   


3 comenários to “RIO É ZONA SUL. NITERÓI É ZONA SUL… E TRAFICANTES ABDUZIDOS”

  1. Eron disse:

    Realidade. Infelizmente há áreas que são privilegiados porque concentram pessoas com maior poder aquisitivo enquanto as áreas não tão nobres seguem esquecidas pelas autoridades. O Senhor citou a Niteroi e eu me recordei que no ano novo em Copacabana foram mais de 1500 policiais, me perguntava como ficaria o policiamento no restante da cidade…. Engraçado que estas áreas mais carentes são as que concentram maior quantidade de voto, e são, as que os nosso nobres políticos mais fazem promessas e ganham voto, a população precisa se atentar a isto.

  2. jorge disse:

    Caro Eron,
    Essa turma tem muita cara de pau.

  3. jorge disse:

    Caro Eron,
    Sem dúvida.

Envie o comentário


0/Limite de 1800 caracteres

Add video comment