- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

MACONHA, URUGUAI E A SÍNDROME DE CARANGUEJO

.

O Congresso do Uruguai acaba de aprovar a regulamentação da produção, distribuição e consumo da maconha.  Antes, já não era crime consumir ou portar essa droga para uso próprio. Em linhas gerais, o Uruguai fez o mesmo que os Estados Unidos em relação ao álcool na década de 1930, quando o Congresso norte-americano decidiu tirar o álcool do controle dos traficantes e da alta corrupção, e regulamentá-lo.  A diferença é que o nosso vizinho do Sul estatizou o controle, o que é uma incógnita. Tema polêmico, ninguém ousará afirmar que alguma droga psicoativa, legal ou tornada ilegal…, não seja prejudicial. Mas cumpre refletir sobre alternativas menos traumáticas que vêm sendo adotadas em diferentes partes do mundo.

Em julho de 2001, Portugal descriminalizou o uso e a posse para uso próprio de todas as drogas. Os temores de que o consumo aumentasse e de que o país se transformasse no paraíso do consumo da Europa não se confirmaram. Nos Estados Unidos, país que lançou e ainda sustenta a “guerra às drogas” no mundo (guerra mesmo, armada, em países da periferia, do que é exemplo a matança que se verifica entre nós); nos Estados Unidos, repito, 18 estados permitem o uso medicinal da maconha, e dois outros admitem o uso recreativo. Tudo sem contar alternativas de prevenção, tratamento e redução de danos adotadas em muitos países.

No Brasil, desde a Lei antidrogas de 2006, não se deve levar à prisão (ou não se deveria levar…) o usuário. Mas no Congresso Nacional, a síndrome do caranguejo atormenta deputados e senadores.