- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

POLÍTICOS E “BLACK BLOCS”

.

Instalou-se nova polêmica em torno do presidente do Senado. Desta feita, relacionada à compra de alimentos para a residência oficial. Curioso que a mídia questiona apenas a suspeita de superfaturamento (R$ 98 mil por seis meses) e a quantidade de certos itens (25 quilos de camarão vermelho graúdo, 1,7 tonelada de carne, incluindo 100 quilos de filé mignon, 50 quilos de picanha, 54 quilos de linguiça, sem falar nos 50 quilos de carvão). Na matéria do jornal Extra Online (17/10), consta que, enquanto não se faz nova licitação, Renan Calheiros e família estariam comendo fora, pagando do próprio bolso. E consta também que o governador do Ceará, Cid Gomes, é um ‘boa boca’. A cozinha da residência oficial e o seu gabinete serão abastecidos por um bufê, ao custo de R$ 3,4 milhões. E é assim por todo o Brasil.

O que a mídia deveria questionar é o seguinte: ainda estamos na monarquia? Por que o dinheiro público tem que arcar com os custos de alimentação da família das autoridades acima mencionadas? Por que não podem pagar do próprio bolso? Mais: os custos de alimentação estão incluídos no teto dos seus vencimentos?

Na verdade, a mídia tem colocado foco numa falsa questão. Se é certo que, para ocasiões formais, de representação do cargo, haja verbas próprias, é um deboche que o presidente da República, governadores e o presidente do Senado ou da Câmara promovam churrascadas e comes e bebes em suas residências “oficiais”, convidando amigos, parentes e áulicos para se refestelarem, com tudo pago pelos pobres mortais.

Depois eles querem continuar com a farra e mandar para o cárcere quem se indigna com ela e promove quebra-quebra.