foto de Jorge Da Silva

Jorge Da Silva é cientista político. Doutor em Ciências Sociais pela UERJ e professor-adjunto / pesquisador-visitante da mesma universidade. Professor conteudista do Curso EAD de Tecnólogo em Segurança Pública (UFF - CEDERJ / CECIERJ). Criado no hoje chamado Complexo do Alemão, no Rio, serviu antes à PM, corporação em que exerceu o cargo de chefe do Estado-Maior Geral. Foi também secretário de Estado de Direitos Humanos/RJ. É vice-presidente da LEAP Brasil ('Law Enforcement Against Prohibition Brazil' (Agentes da Lei Contra a Proibição)).

Ver perfil

Os conteúdos dos textos deste Blog podem ser usados livremente. Pedimos, no caso, que sejam consignados os devidos créditos, com a citação do autor e da fonte.

 



 

 

QUAL A EXPLICAÇÃO?

2 Comentários, deixe o seu

.

Um leitor do blog, estranhando a inclusão do governador do Rio nos protestos contra o governador de São Paulo, aventou a hipótese de o fato revelar uma possível mudança de mentalidade, em que os regionalismos estariam sendo substituídos pelo conceito de Nação. Discordei. Chamei a sua atenção para algo mais estranho ainda. No Rio, os protestos têm tido como alvos o governador e o prefeito, ambos do PMDB. Em São Paulo, apenas o governador, do PSDB. O prefeito, do PT, tem sido poupado.

2 Comentários, deixe o seu   |    Imprimir este post Imprimir este post    |   


2 comenários to “QUAL A EXPLICAÇÃO?”

  1. Adilson da Costa Azevedo disse:

    Caro Jorge, Ousarei em responder a essa pergunta com duas respostas:

    1ª Os protestos são dirigidos aos políticos “profissionais” que dilapidam o patrimônio público há décadas ou séculos. Alckimin, Cabral e Paes são identificados como políticos profissionais. No caso de Haddad, não. Está em um cargo “colocado” por Lula, não tendo em seu curriculo outro mandato eletivo. Trata-se de um acadêmico que eventualmente está exercendo um cargo político há pouco tempo. Dessa forma, a sensibilidade dos protestantes poupou-o em virtude de não ter responsabilidade por fatos pretéritos que culminou com os protestos.

    2ª Trata-se de luta partidária, onde os partidos estão aproveitando a oportunidade para minar os adversários. Assim, Cabral e a sua invenção Pezão e Paes, futuro sucessor de Cabral e Alckimin com peso considerável na eleição presidencial são combatidos para enfraquecê-los em futuras eleições. Tudo isso feito pelo(s) partido(s) interessados na derrocada dos três. Quanto a Haddad, é apenas mais um poste colocado por Lula e facilmente substituível após o seu mandato. Naturalmente que como você sugere o prefeito do PT está sendo poupado. Conclui-se que no seu questionamento já está implícito qual o partido interessado.

    Qual a resposta mais plausível?

  2. jorge disse:

    Caro Adilson,
    Acho que a sua análise está correta. De qualquer forma, só escapou o político (profissional ou não) do PT. Logo…

Envie o comentário


0/Limite de 1800 caracteres

Add video comment