- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

OS PROTESTOS E A “GENI”

.

Lá atrás, quando as manifestações contra os aumentos das tarifas foram anunciadas, as autoridades minimizaram-nas e, mesmo antes de as mesmas começarem, desqualificaram os manifestantes, afirmando tratar-se de uma minoria de baderneiros, a merecer exemplar repressão. Então, em vez de acionarem a polícia para que as manifestações se realizassem em ordem, como ocorre em sociedades democráticas, optaram realmente por reprimi-las. E deu no que deu. Foi assim em São Paulo, Rio e Brasília.

Diante das consequências negativas da decisão (acirramento dos ânimos; manifestantes e policiais feridos; jornalistas atingidos por balas de borracha; infiltração de vândalos etc.), as autoridades, perplexas, recuaram. O governador de São Paulo chegou a anunciar em entrevista que proibira a PM de continuar a usar balas de borracha, e os de Brasília e Rio também mudaram o tom. Agora, a polícia deveria dialogar, fazer um pacto de atuação com os manifestantes. Resultado: a polícia, que antes fora acusada de despreparo e de truculência, continuou a ser acusada de despreparo, mas por omissão ou passividade.

Bem, no rescaldo das escaramuças, só a polícia continua a ser execrada, ainda que agredida por vândalos, como se fora a “Geni”. Não é o caso de entrar no mérito dessa discussão, pois a polícia há de ter as suas culpas, mas não dá para entender que só ela seja questionada. E os outros? E as autoridades?…

PS. Chico Buarque certamente me perdoará pela comparação.