- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

JÔ SOARES E POLÍCIA PACIFICADORA

.

No programa do último dia 8 de março, Jô Soares entrevistava um brasileiro, Alexandre Danielli, que servira no Marine Corps (Corpo de Fuzileiros Navais) dos Estados Unidos. O ex-“marine” tinha atuado em combate no Afeganistão, onde chegou a ser ferido em ação. Em dado momento da entrevista, Jô toca num ponto delicado: “Eu… eu ia fazer uma pergunta, mas acho tão terrível…Você não tomou consciência que estava lá para matar gente?” Pego de surpresa, o entrevistado se atrapalha: “Sim… a gente é treinado… pra se defender…” Jô o atalha com uma gargalhada, e ele tenta contornar a contradição: “… você vai lá se defender dos terroristas…” E Jô, irônico, ainda rindo: “É como a polícia pacificadora. Tá lá pra pacificar… a bala, claro, mas vai… vai pacificando… [risos da plateia] Outro dia eu ouvi o depoimento de um senhor, comovente; um pai que a filha morreu de um tiro, e ele falou: ‘Como é que é possível uma bala que veio para pacificar?’… Eu acho essa terminologia de polícia pacificadora… eu acho um absurdo. É a mesma coisa desse negócio de ‘Não, não somos… fomos pra lá mas não é pra conquistar, é pra restabelecer… pra colocar a democracia’. Nunca vi democracia imposta, já deixa de ser”.