- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

É PRECISO ACABAR COM OS TRAFICANTES!

.

Já lá se vão mais de 30 anos em que, todos os dias, jornais e TVs do País divulgam notícias sobre a ação dos traficantes de drogas e sobre a mobilização das polícias – e mesmo das Forças Armadas – contra os mesmos. São milhares e milhares de matérias, as quais, no geral, apresentam o mesmo padrão guerreiro. Num breve apanhado é possível montar um mosaico ilustrativo desse padrão, a partir de títulos de matérias colhidas em alguns dos principais veículos de comunicação nos últimos anos, como segue:

“Morte de traficante motivou ataques a PMs em São Paulo” / “Em todo o país, no ano de 1999, a PF conseguiu evitar a distribuição de 5,83 toneladas da droga” / “RJ: confronto entre policiais de UPP e traficantes deixa dois mortos” / “Traficantes da Mangueira incendeiam ônibus em protesto pela morte de Pit Bull” / “Policiais gravam ação de traficantes em Ceilândia, no DF” / PM feminina morre com um tiro de fuzil 7,62, o tiro teria ultrapassado o colete a prova de bala!” “Criança morre atingida por bala perdida durante operação do Bope” / “PM de UPP do Morro da Coroa perde as duas pernas após ataque de bandidos com granada” / “Operação do Bope no Juramento termina com cinco suspeitos mortos” /“Policiais mortos pelo PCC levaram, em média, 7 tiros” / “PM teme represálias após morte do traficante Matemático no Rio” / “ROTA prende homem apontado como um dos maiores traficantes da Zona Leste” / “Polícia mata traficante apontado como sócio de Beira-Mar” / “Polícia já apreendeu mais de meia tonelada de drogas na Paraíba” / “Droga apreendida na BR-386 seria distribuída em Novo Hamburgo” / “Polícia prende traficantes em Caruaru” / “Polícia prende traficante sucessor de Nem na Rocinha” / “Munição para fuzil e 40 quilos de cocaína são apreendidos em ação da PM na Zona Oeste” / “Polícia apreende oito quilos de cocaína em Mato Grosso” / “Colombiano e venezuelana flagrados com 7,5 quilos de cocaína no Aeroporto de Guararapes” / “Polícia apreende 22 kg de cocaína no aeroporto de Rio Branco” / “Polícia Rodoviária Federal apreende cem quilos de cocaína em caminhonete que ia para o Rio” / “Ônibus incendiados na Grande BH tiveram ordem de presídios, diz polícia” / “Traficantes do Alemão tinham plano para assassinar general que comandava ocupação” / “Exército: Traficantes entraram no Alemão para desmoralizar Força de Pacificação” / “Traficantes fazem 31 reféns em hotel de luxo no Rio” / “Traficantes que agem no interior da Bahia estão no baralho da SSP” / “Em cinco anos, 50 mil pessoas assassinadas pelos cartéis de drogas no México” / “OEA: Brasil, Colômbia e México são os países com mais homicídios no continente” 

E por aí vai.

Bem, a pergunta a fazer é a seguinte: E daí? Mais: Qual é o objetivo de toda essa mobilização e dessa matança? Seria vencer os traficantes ou acabar com eles? Ora, vencer os traficantes é uma pretensão ridícula; acabar com eles usando as forças de segurança, idem. É o mesmo que imaginá-los constituindo uma “corporação” fechada, com número certo, identificável e finito.

Nada obstante, há um meio infalível de acabar com os traficantes. Basta acabar com o tráfico. E para acabar com o tráfico basta fazer mais ou menos o que os norte-americanos fizeram quando resolveram acabar com o tráfico de álcool. Puseram fim à proibição penal do mesmo. Sem tráfico, deixou de haver traficantes de álcool. Sem facções em guerra pelo controle do “mercado” do álcool, deixou de haver os antigos tiroteios entre elas, nem entre elas e a polícia. No nosso caso, sem tráfico de drogas, não será mais necessário manter equipes de prontidão para prestar honras fúnebres aos policiais mortos (guardas de honra, bandeira nacional, corneteiros, capelães etc.). E a polícia teria mais o que fazer.