- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

CINISMO AO CUBO, CRIMINALIDADE VIOLENTA E OS TRÊS MACAQUINHOS

.

 (“Pensar em controlar o crime de rua enquanto o crime organizado viceja é ignorar as suas claras  conexões. […] Onde o crime do colarinho branco é aceito, os assaltos a residências, roubos e furtos devem ser esperados.” (Ramsey Clark, ministro da Justiça dos Estados Unidos na década de 1960)).

Fico imaginando o que não passaria pela cabeça dos “criminosos de rua” (convencionais), incluídos os que estão dentro dos presídios, ao assistirem à TV nos últimos anos, e crianças aprendendo com ladrões poderosos (não-convencionais), ao vivo e em cores, que vale a pena roubar, desde que se trate de milhões e que se saiba mentir com cara de anjo. Curioso mesmo é constatar que muitos dos respeitáveis senhores envolvidos em escândalos milionários bradam pelo endurecimento das penas quando se trata de criminosos de rua, falando até em pena de morte. Cínicos!

A teoria dos três macaquinhos sabidos incorporou-se em definitivo como valor ético em setores políticos e empresariais importantes. O “não vi, não ouvi, não falei” passou a ser adotado com desfaçatez de cima a baixo; da direita à esquerda…

O alerta de Ramsey Clark continua atual, e cabe como uma luva na sociedade brasileira. Que ninguém se iluda: a roubalheira dos poderosos é estímulo à roubalheira geral, e serve de justificativa para os criminosos saídos do populacho. E ninguém pense em ensinar a ética do trabalho e do estudo em meio a um quadro em que o que mais conta é a ética da esperteza, no mau sentido. Em que o honesto é considerado babaquara.