- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

TRAFICANTES NA LUTA CONTRA O CRACK

.

A coluna do Ancelmo Gois de ontem (O Globo, 19/06) publicou a foto de um cartaz que traficantes de drogas espalharam nas “comunidades” do Jacarezinho, Mandela e Manguinhos, na Zona Norte da cidade, locais onde se situam conhecidas e grandes “cracolândias”. (ver foto abaixo).

A foto circulou e circula em outros meios, e o assunto vem sendo comentado amplamente.  Em geral, os comentários vão na direção de que os traficantes decidiram fazer isso temendo que as autoridades usem a Força Nacional de Segurança (que já ocupa o Morro Santo Amaro, no Catete), para também ocupar o seu reduto, o que prejudicaria os negócios em torno de outros produtos, em especial a cocaína e a maconha.

Algo que ainda não vi comentado tem a ver com os destinatários do aviso. Só alguém muito ingênuo para acreditar que o aviso se destina aos “crackeiros”. É, na verdade, uma clara mensagem às autoridades. Não nos esqueçamos de que o Governo Federal resolveu desencadear verdadeira cruzada nacional contra o crack. Lançou o “Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas”, e anunciou um investimento de 4 bilhões de reais para ações nas  áreas da recuperação, da repressão e da prevenção.

Mais que tudo, o que importa mesmo é analisar o subtexto da mensagem e do gesto. Pergunte-se: A mensagem faz sentido? Corresponde a algum contexto? Por que os traficantes resolveram fazer o que fizeram?

No fundo, independentemente de outros propósitos, é como se os traficantes dissessem: “Somos solidários; prometemos não mais vender crack!”

Esta foto é emblemática. Traz consigo incontáveis discursos, e possibilidade de múltiplas interpretações. A partir dela é possível penetrar no âmago da nossa sociedade. E indagar sobre aspectos sociológicos da questão das drogas das quais costumamos fugir.

 

A polêmica foto publicada na coluna do Ancelmo Gois.