foto de Jorge Da Silva

Jorge Da Silva √© cientista pol√≠tico. Doutor em Ci√™ncias Sociais pela UERJ e professor-adjunto / pesquisador-visitante da mesma universidade. Professor conteudista do Curso EAD de Tecn√≥logo em Seguran√ßa P√ļblica (UFF - CEDERJ / CECIERJ). Criado no hoje chamado Complexo do Alem√£o, no Rio, serviu antes √† PM, corpora√ß√£o em que exerceu o cargo de chefe do Estado-Maior Geral. Foi tamb√©m secret√°rio de Estado de Direitos Humanos/RJ. √Č vice-presidente da LEAP Brasil ('Law Enforcement Against Prohibition Brazil' (Agentes da Lei Contra a Proibi√ß√£o)).

Ver perfil

Os conteúdos dos textos deste Blog podem ser usados livremente. Pedimos, no caso, que sejam consignados os devidos créditos, com a citação do autor e da fonte.

 



 

 

124 ANOS DEPOIS, COTAS PARA NEGROS NO STF. QUEM SAI DERROTADO?

10 Comentários, deixe o seu

.

O Supremo Tribunal Federal (STF) declarou por unanimidade ontem, 26 de abril de 2012, a constitucionalidade das pol√≠ticas de cotas nas universidades p√ļblicas. Com isso, ruiu por terra, em definitivo, a mitologia da ‚Äėdemocracia racial‚Äô, concebida e defendida obsessivamente pelas elites pol√≠ticas e intelectuais desde sempre, com dois indisfar√ß√°veis objetivos: manter a ‚Äútradi√ß√£o‚ÄĚ, ou seja, a estrutura social hier√°rquica e discriminat√≥ria da sociedade brasileira; e tachar de subversivos ou ‚Äúproblem√°ticos‚ÄĚ todos aqueles que n√£o engoliam o engodo, como o grande Abdias do Nascimento.

Os opositores da luta dos negros j√° inventaram de tudo. A √ļltima inven√ß√£o √© que no Brasil n√£o h√° negros nem brancos, de vez que ser√≠amos todos ‚Äúmisturados‚ÄĚ, numa ardilosa mistura, sim, de biologia com sociologia. J√° fui at√© repreendido por uma senhora inequivocamente loira, que se ofendeu porque, numa conversa, me referi a ela como pessoa branca. Em suma, trata-se de uma tentativa de etnoc√≠dio: matar a identidade √©tnica de um grupo espec√≠fico de brasileiros. Que os que se consideram negros esque√ßam que um dia os seus ancestrais foram trazidos da √Āfrica negra para serem feitos escravos aqui, durante mais de 350 anos. Ris√≠vel que os opositores n√£o vejam qualquer diferen√ßa de cor entre os ministros Joaquim Barbosa e Levandowski, ambos da cor ‚Äúbrasileira‚ÄĚ, palavra que virou categoria de cor. Ora, a representa√ß√£o do STF √© um esc√°rnio. Num pa√≠s com 50% de negros (pretos e pardos do IBGE), apenas um dos onze ministros √© negro (e n√£o da cor ‚Äúmisturada‚ÄĚ, com o algu√©m pode alegar serem os demais). Se levarmos em conta que os ministros s√£o nomeados por indica√ß√£o pol√≠tica, fica evidente a prefer√™ncia por n√£o negros. Isto 124 anos depois da aboli√ß√£o da escravatura.

Quem sai derrotado? Ou vencedor? Depois do esfor√ßo que fazem ao longo dos √ļltimos anos contra o que entendem ser pol√≠ticas divisionistas; de terem tachado de ‚Äúracialistas‚ÄĚ tanto os negros que lutam por mudan√ßas quanto os brancos a eles associados, despontam os mais not√≥rios opositores derrotados nessa peleja: no campo pol√≠tico, o principal derrotado √© o senador Dem√≥stenes Torres, ent√£o do DEM, l√≠der tanto do movimento contra as cotas quanto contra a corrup√ß√£o. No campo intelectual, podem-se citar os tr√™s mais not√≥rios: Yvonne Maggie, antrop√≥loga e professora da UFRJ, Peter Henry Fry, tamb√©m antrop√≥logo e professor da UFRJ, e Dem√©trio Magnoli, ge√≥grafo e soci√≥logo da USP. Os dois primeiros participaram da organiza√ß√£o de um livro (‚ÄúDivis√Ķes perigosas‚ÄĚ), com artigos de 34 intelectuais e artistas contr√°rios √† aprova√ß√£o do Estatuto da Igualdade Racial e do sistema de cotas, livro entregue solenemente ao presidente da C√Ęmara Federal em 2007, com direito a cobertura do Jornal Nacional, da Rede Globo. Al√©m disso, em 2008, assinaram manifesto, de 134 assinaturas, levado em comiss√£o ao presidente do STF, pedindo que o Supremo declarasse inconstitucional o sistema de cotas. E Dem√©trio Magnoli, que, al√©m de artigos no referido livro, tamb√©m assina o manifesto. Cite-se ainda o jornalista e soci√≥logo Ali Kamel, diretor da Central de Jornalismo da Rede Globo de TV, o qual, depois de escrever artigos contra as cotas no jornal O Globo, lan√ßou o livro N√£o somos racistas, com grande divulga√ß√£o.

Bem, j√° que os ministros, por unanimidade, declararam a constitucionalidade das cotas, ningu√©m sai realmente derrotado. Quem ganha s√£o os brasileiros, independentemente de cor, origem, classe etc. Ser√° que, al√©m de Joaquim Barbosa, tamb√©m v√£o chamar os demais ministros do Supremo de ‚Äėracialistas‚Äô?

PS. Motivado pela movimenta√ß√£o dos opositores, o ‚Äėmovimento negro‚Äô elaborou um manifesto a favor da constitucionalidade do sistema de cotas, com 740 assinaturas, igualmente levado ao presidente do STF.

 

10 Comentários, deixe o seu   |    Imprimir este post Imprimir este post    |   


10 comenários to “124 ANOS DEPOIS, COTAS PARA NEGROS NO STF. QUEM SAI DERROTADO?”

  1. Ana Tereza disse:

    A cobertura do Jornal da Globo sobre a quest√£o foi infeliz, pra dizer o m√≠nimo. O apresentador William Waack limitou-se a dizer que o ind√≠gena expulso do julgamento tinha raz√£o em protestar, tendo em vista que todas as minorias devem agora lutar pelas cotas e deixar chegar ao STF. Ao longo da mat√©ria em si, o √ļnico trecho de discurso exibido foi o do Min. Gilmar Mendes (?) em que ele diz que o crit√©rio ideal seria o da pobreza, ignorando o fato de que o RACISMO √© real. Desliguei a televis√£o, claro. Mas n√£o sem sorrir. Desculpa Waack, perdeu!

  2. jorge disse:

    Cara Ana,
    Faz sentido que a rede Globo assim se coloque, mas n√£o culpe o William Waack. Ele s√≥ l√™ a mat√©ria. N√£o esquecer que o diretor da Central de Jornalismo da Rede Globo de Televis√£o √© Ali Kamel, talvez o maior opositor, declarado, da luta dos negros contra a discrimina√ß√£o estrutural, e que vem h√° anos dando todo espa√ßo a quem se apresente para aderir √†s suas ideias. Al√©m disso, √© tamb√©m colunista do jornal O Globo, sempre pronto a desqualificar a luta dos negros. Ele deve estar frustrado e com muita raiva, caracter√≠stica dos poderosos autorit√°rios. Apesar de todo o seu poder, do seu obsessivo empenho e de manipula√ß√Ķes como essa que voc√™ notou, perdeu de 10 a Zero, ou melhor, de 11 a Zero, pois o ministro Dias Toffoli, que n√£o votou, tamb√©m √© a favor das cotas. Perdeu, …

  3. cel wilton disse:

    Caro amigo Cel Jorge, brilhante, magn√Ęnimo e provocador de orgulho extremo (seu artigo)Todos n√≥s estamos emocionados. Continue, grite, v√° as entranhas, e principalmente, para o bem de todos n√≥s, ensine.
    Abraço, Cel Wilton.

  4. jorge disse:

    Caro Wilton,
    Quero ver se os reacionários agora vão investir contra os ministros. O preconceito embota a inteligência, mesmo de intelectuais renomados.

  5. Igor disse:

    E √© claro que isso n√£o se limita √† Globo. O Casoy, provavelmente achando que as fun√ß√Ķes de √Ęncora e ministro do supremo se equivalem, disse que a decis√£o foi um erro grave. Mais um que perdeu.
    Podem conferir no link: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=OBCJxtQSgQI

  6. jorge disse:

    Caro Igor,
    Conferi. Quer dizer que o Boris Casoy √© um g√™nio. O mesmo g√™nio que zombou do gari. Os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal est√£o errados. Ele √© que est√° certo. Quanta emp√°fia! √Č a isso que a gente chama de burrice ativa, ou, sin√īnimo, ignor√Ęncia desinibida. Casoy √©…. “uma vergonha”

  7. Licia Souza disse:

    Professor Jorge.
    Permita-me trat√°-lo “apenas” como professor, mesmo tendo conhecimento dos seus n√£o menos importantes t√≠tulos. Por√©m, somente os grandes Mestres podem dar uma aula t√£o brilhante. √Č o caso do conte√ļdo e da forma did√°tica do texto ” Cotas para negros 124 anos depois, quem sai perdendo”? Parab√©ns!

  8. jorge disse:

    Cara Licia,
    Obcrigado pelo apoio.

  9. Viviane disse:

    “Onde o vento faz a curva”: MANIFESTA√á√ÉO DE PAIS, PROFESSORES E FUNCION√ĀRIOS -… http://ondeoventofazacurvalagoinha.blogspot.com/2012/04/manifestacao-de-pais-professores-e.html?spref=tw

  10. jorge disse:

    Cara Viviane,
    Interessante o blog, e o protesto.

Envie o comentário


0/Limite de 1800 caracteres

Add video comment