- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

TOM JOBIM E A VIOLÊNCIA

.

Corre a lenda: o maestro Tom Jobim teria afirmado certa feita que só haveria justiça social no Rio de Janeiro quando todos morassem em Ipanema. Só mesmo alguém com a sensibilidade apurada dos poetas, que também era, seria capaz de fazer tão bom uso da ironia para denunciar o egoísmo e o cinismo de setores elitistas da sociedade carioca. Estes se apresentam como democratas preocupados com o bem-estar da população em geral, mas só advogam políticas governamentais que os favoreçam de forma particularista e desmesurada.

Troquemos “justiça social” (discurso) por “segurança” (realidade). A real diminuição da violência na Ipanema de Tom e adjacências depois da implantação das UPPs – em contraste com o aumento em paralelo da mesma nas periferias do Rio – confirma a tese do genial maestro.

Os protestos e manifestações dos moradores dos subúrbios, da Baixada Fluminense e de Niterói e São Gonçalo não surtem os mesmos efeitos da pressão exercida sobre os poderes públicos pelos mencionados setores exclusivistas. Estes não medem esforços para monopolizar os meios de comunicação em seu proveito e para fazer com que a sua opinião particular, publicada repetitivamente à exaustão (lembrei-me de Goebbels), seja a opinião de todos.

Se vivo estivesse é possível que Tom Jobim afirmasse que só haveria “segurança” no Rio de Janeiro quando todos morassem em Ipanema. Como nem todos podem ou querem se mudar para Ipanema, ou Leblon, ou Lagoa…