- Jorge Da Silva - http://www.jorgedasilva.blog.br -

GRADUAÇÃO EM SEGURANÇA NA UFF

.

UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL

Criado o curso de graduação em Segurança Pública na Universidade Federal Fluminense – UFF, depois do empenho de anos do professor Roberto Kant de Lima. Transcrevo matéria do jornal O Globo deste domingo, 08/01 /2011, a respeito.

 

“PM na UFF

Por Luiz Garcia

“Dentro de quatro anos, o Rio ganhará profissionais com formação universitária em segurança pública. Parece boa ideia, pelo menos porque toda novidade positiva nessa área é bem-vinda em princípio.

Numa guerra que a sociedade não está ganhando — na melhor das hipóteses, defendida por otimistas obstinados, estamos segurando nos dentes um frágil empate — novas ideias merecem, pelo menos, uma expectativa forrada de esperança.

A iniciativa é da Universidade Federal Fluminense, que oferece 60 vagas a novos universitários. O dono da ideia, professor Roberto Kant de Lima, diz que a formação de profissionais que existe hoje “nas academias de polícias e faculdades de Direito” não tem o que ele chama de “perspectiva da sociedade”: está amarrada à “visão do aparelho de repressão do Estado”.

Traduzindo: a ideia é treinar profissionais que pensem prioritariamente nos interesses dos cidadãos — que não seriam exatamente idênticos aos das autoridades que cuidam da segurança pública — e isso não é exatamente uma novidade. Os inéditos bacharéis em segurança estarão distantes do que o professor chama de “lógica da repressão”: vão estudar matérias como administração de conflitos, sociologia e antropologia.

O projeto não é novo: há quatro anos, foi rejeitado pela UFF. E, de 2000 a 2006, ele existiu sob a forma de um curso de especialização obrigatório para a promoção de policiais do Estado do Rio. Não deu certo, segundo Kant de Lima, porque os policiais-alunos “vinham com suas culturas profissionais muito enraizadas”. Na nova versão, não há esse problema: os candidatos não terão experiência alguma. O que os defensores da ideia consideram uma virtude, com a mesma certeza que os adversários a condenam.

Vale a pena registrar que a novidade é elogiada por um coronel da PM, Robson Rodrigues, que tem, pode-se dizer, experiência nos dois times: é mestre em antropologia e foi comandante das UPPs — possivelmente a melhor iniciativa da Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro nas últimas décadas.

Ele lembra que levar a segurança pública para o meio universitário é uma iniciativa democrática. Tem razão, com certeza: é uma forma de aproximar os agentes do Estado dos cidadãos.”