foto de Jorge Da Silva

Jorge Da Silva é cientista político. Doutor em Ciências Sociais pela UERJ e professor-adjunto / pesquisador-visitante da mesma universidade. Professor conteudista do Curso EAD de Tecnólogo em Segurança Pública (UFF - CEDERJ / CECIERJ). Criado no hoje chamado Complexo do Alemão, no Rio, serviu antes à PM, corporação em que exerceu o cargo de chefe do Estado-Maior Geral. Foi também secretário de Estado de Direitos Humanos/RJ. É vice-presidente da LEAP Brasil ('Law Enforcement Against Prohibition Brazil' (Agentes da Lei Contra a Proibição)).

Ver perfil

Os conteúdos dos textos deste Blog podem ser usados livremente. Pedimos, no caso, que sejam consignados os devidos créditos, com a citação do autor e da fonte.

 



 

 

COTA PARA MULHERES NO MINISTÉRIO DILMA. HOMENS CONTRA… E…

16 Comentários, deixe o seu

.

Em pauta a briga por ministérios. Depois que Dilma Roussef anunciou a intenção de destinar uma cota (1/3) para as mulheres no seu ministério, abriu-se a polêmica. O assunto foi tema do quadro Liberdade de Expressão, da rádio CBN, apresentado por Heródoto Barbeiro e que tem como comentaristas Carlos Heitor Cony, Arthur Xexéo e Viviane Mosé. Corria o boato que Dilma não estaria encontrando mulheres qualificadas. A pergunta de Heródoto aos três era se Dilma teria dificuldade em conseguir mulheres para o ministério. Viviane, depois de traçar a trajetória de exclusão da mulher até a Constituição de 1988, mostrou-se favorável à ideia: “Uma idéia fundamental”. Cony é embaraçado pela forma como Heródoto lhe dirige a pergunta: se ele achava que Dilma teria dificuldade de nomear uma mulher, por exemplo, para o ministério da Saúde, com tantas mulheres na área médica, ou para o ministério da Educação, com tantas professoras. Cony é politicamente correto, e diz-se a favor de uma maior presença de mulheres na vida pública, porém manifesta-se contrário ao estabelecimento de cotas. É enfático: “como se fosse a cota dos negros para a faculdade, ou seja: tem que botar porque a lei manda”. É atalhado por Heródoto: “Mas não tem lei”. Cony, no entanto, prossegue: “mas tem aquela tendência do executivo principal, que no caso seria a Dilma, que é uma mulher, e que já botou mulheres no tempo da Casa Civil, botou inclusive uma mulher chamada Eunice [sic], que a gente sabe o que é que deu”. E conclui: “o referencial principal, e único, é a competência”. Heródoto passa a palavra a Xexéo, que começa afirmando: “É, eu estou mais com o Cony do que com a Vivi”. E aduz, dirigindo-se a Cony, meio que fazendo graça, rindo: “porque sabe que a gente é homem, Cony, a gente vai casar posição”. E então, a sério, depois de tachar a ideia de “cafona” (ainda se usa essa palavra?), reforça a opinião de Cony: “o que deve valer é o talento e a competência”.

Temos então:

1. Três comentaristas: uma mulher, a favor da ideia de Dilma; e dois homens, contra.

2. A presunção machista (não me refiro a Cony e Xexéo) de que é difícil encontrar mulheres qualificadas no Brasil para os altos cargos da República;

3. Os homens escolhidos para o ministério, nos diferentes governos, o seriam pela competência e o talento, e não pelo fato de serem homens;

4. A tradicional cota de homens nos ministérios, perto dos 100%, seria algo dado pela natureza;

5. O argumento de Cony contra a ideia de Dilma é idêntico àquele contra as cotas para negros;

6. Cony deu o exemplo de Erenice para reforçar o seu argumento. Esqueceu-se das dezenas de ministros e outros homens públicos corruptos, envolvidos em mensalões, falcatruas e nepotismo;

7. Cony e Xexéo parecem ter sofrido um “apagão”. Esqueceram-se de que: um, o ministério de Dilma (não é primazia do dela) forma-se na base de cotas (destes e daqueles partidos, da cota do Vice, de Sarney, cota de fulano etc.); e dois, que a competência, salvo as exceções de praxe, parece ser o último requisito a ser considerado, quando é ;

8. Estranho que, numa sociedade marcada pelas “relações”, pelo compadrio e o paternalismo, se aponte a competência como sendo a regra, e não a exceção;

9. Na questão em foco – de gênero –, como em outras da mesma natureza (etnorraciais, de origem, de classe etc.), o que fala mais alto são as “razões” identitárias, e não a razão neutra (se é que neutralidade existe).

Perguntemo-nos:

– Por que será que os dois comentaristas homens são contra a ideia de Dilma, e a comentarista mulher, a favor?

– O que Viviane diria se Dilma tivesse sugerido uma cota para negros no ministério?…

16 Comentários, deixe o seu   |    Imprimir este post Imprimir este post    |   


16 comenários to “COTA PARA MULHERES NO MINISTÉRIO DILMA. HOMENS CONTRA… E…”

  1. Ana Tereza disse:

    A cota proposta pela Pres. eleita Dilma é de 1/3 para mulheres. Será que os homens participantes do debate não acreditam que se possa achar 1/3 de mulheres competentes?

  2. jorge disse:

    O machismo está na alma nacional. Naturalizado.

  3. Fatima Silva disse:

    Também estou de acordo com a Viviane, existem muitas mulheres competentes para ocupar cargos políticos, basta olhar, procurar e observar. Os atuais políticos homens querem manter as coisas do mesmo jeito pois no seu “clube fechado” não entram mulheres. Na cabeça deles os cargos já estão ocupados por fulanos e beltranos homens, numa verdadeira dança de cargos. Eles têm medo de que, assim como a Dilma quer colocar 1/3 do seu ministério feminino, as mulheres escolhidas façam o mesmo. E se torne um efeito em cascata em todo poder público.

  4. jorge ricardo disse:

    A Dilma jogou como gosta de dizer o LULA “para a galera”, ela já deveria ter feito e deixado os comentaristas falarem depois. Ela podia ter começado nomeando as mulheres, mas começou com os homens. O resto ela quer partilhar.Não estou com nenhum dos comentaristas. Acredito que a nossa presidente utilizará as razões identitárias partidárias e relações de amizade e de apadrinhamento típicas da nossa sociedade no restante de suas nomeações.

  5. Maurício Cruz disse:

    Entendo que o importante para integrar o ministério de qualquer governo é a competência, a honestidade e o compromisso com o desenvolvimento do Brasil e de sua gente. A cor, a reliigião, o sexo ou a naturalidade (ser nortista, sulista ou de qualquer outra região do País) jamais devem ser parâmetro para essa escolha.

  6. jorge ricardo disse:

    Hoje a tarde ela escolheu mais 04 homens, um deles é o Mercadante (partido) e outro é o chefe de gabinete (no lugar da Erenice), que já fazia parte do gabinete (3º escalão), será que ela não conhecia nenhuma mulher para esse cargo?

  7. paulaverginia de oliveira disse:

    muito me admira,estes comentaristas chinfrim,pois se não acredita no poder das mulheres,naturalmente não tem meritos nem para julgrem eles mesmos.

  8. jorge disse:

    Caro Maurício,

    É a minha opinião também. Sou pela competência e o mérito. O meu ponto não é esse, e sim realçar o fato de que, em determinadas questões, a opinião das pessoas corresponde muito mais à sua identidade social do que a razões neutras. Não fosse isso, como explicar que as mulheres, em maioria (pergunte às mulheres de sua família e do seu círculo de amizades) aprovem a idéia de Dilma, e a maioria dos homens a desaprovem? Informalmente, fiz essa pesquisa. 100% das mulheres do meu círculo (eu disse 100%) aprovam a ideia. Logo…

  9. jorge disse:

    Caro Ricardo,
    Concordo com você. Acho que era só um jogo para a platéia.

  10. Cora Klinovski Neumman LIns e Souza disse:

    Caro Drº Jorge da Silva,

    Os machistas podem até sentirem-se orgulhosos e presumirem que ser “muito macho” é sem dúvida normal se sua personalidade profunda não tem bases ideológicas e psicológicas de misoginia (ódio /medo das mulheres muito ligado ao sexismo). Ao tomar consciência de seu machismo e as conseqüências deste, o indivíduo pode modificar muitos aspectos de seu comportamento. A mulher pode compartilhar do machismo na medida em que não é consciente das estruturas de poder que regulam as relações entre os sexos e as reproduz e/ou contribui para que os homens continuem reproduzindo-as.
    Os “débeis” se esquecem que, ao longo das civilizações as sociedades foram na verdade matriarcais.
    Ainda hoje milhares de mulheres todos os anos se formam nas faculdades de educação do Acre até o Rio Grande do Sul- Do Rio de Janeiro até os Estados de Mato Grosso do “Sul e do Norte”. Isto é: DE NORTE A SUL, DE LESTE A OESTE. (Segundo pesquisas do Ministério da Educação, 85% dos formandos são mulheres)
    Quais os motivos que essa gama de professoras na sua totalidade MULHERES,não buscam mudanças da visão machista do Brasil?
    Eu tenho uma resposta. A mulher foi educadas admoestadas por “patriarcas.” Não educadas, certo ? Recebem toda uma influência ativa subjetiva, religiosa etc., etc.
    Infelizmente, outras mulheres “companheiras” que dotadas com seus peitões siliconados e seus quadris matronas se transformam em damas das alcovas. Vendem seus atributos em troca de uma ascensão funcional.

    Obs. Buarque de Holanda- In Mulheres de Atenas:
    “Elas não têm gosto ou vontade,
    Nem defeito, nem qualidade;
    Têm medo apenas.
    Não tem sonhos, só tem presságios.
    O seu homem, mares, naufrágios…
    Lindas sirenas, morenas.
    Mirem-se no exemplo
    Daquelas mulheres de Atenas:
    Geram pros seus maridos,
    Os novos filhos de Atenas

    ”PhD in Obstretricia Methodist Hospital in Atlanta-USA

    Bom Dia!

  11. Juarez Silva disse:

    “Todos animais são iguais, alguns ‘mais iguais’ que os outros…” , cito a famosa frase de George Orwell em “A revolução dos bichos” (em obvia metáfora), para lembrar que é natural as pessoas se agruparem social e naturalmente por características comuns; em se tratando de partilha do poder e recursos, idem.

    Partidários preferem correligionários, Nacionais os compatriotas, Idealistas os de mesmo ideal, e por ai vai… , na partilha do poder os homens (gênero) tem a milhares de anos privilegiado outros homens, nas antigas sociedades matriarcais eram as mulheres que oportunizavam outras mulheres; portanto nada mais natural que no governo de uma mulher as mulheres tenham uma “oportunização” extra… , o interessante é que mesmo com “cota” minoritária, os tradicionais “donos do osso” nunca ficam satisfeitos em ceder qualquer espaço, não é diferente no caso das cotas universitárias para os negros… .

    E como já foi muito bem lembrado, todo governo é COTIZADO de acordo com as alianças realizadas em campanha ou interesses dinâmicos ao longo do governo; logo não será mais uma “cota” que irá configurar exceção ou “tendencionismo”, na realidade a cota deveria ser era de + – 50%…, afinal se essa é a representatividade feminina na população, porque não no poder ??? .

  12. jorge disse:

    Caro Juarez,

    O meu ponto não é o fato de alguém ser a favor ou contra cotas. Como diria o Zeca Pagodinho: “Cada um com o seu cada um”. O que não compreendo é que alguém apóie uma cota para mulheres no ministério (sou a favor), mas seja radical contra cotas para negros com base no argumento de que o que vale é a competência. Esse alguém dirá: “Nada a ver!”

  13. Amanda Pereira dos Santos disse:

    Eu tenho cá minhas desconfianças com tal discurso da nobre PhD, Dra Cora Klinovski Neumman LIns e Souza, provavelmente radicada há anos no reino de Obama & Cia.
    Bastante parecido com de Sarah Louise Heath Palin – Sarah Palin, Ex governadora do estado do Alasca.
    Sei não, em pleno século XXI ao que me parece o referido post da brilhante DOUTORA, é extremamente satanizador. Tal qual foram com os inquisidores.

    Se não vejamos,
    Os “caras” usavam passagens da Bíblia para a firmação da perversidade e da malícia das Mulheres, bem como a autoridade de S. João Crisóstomo, através da sua exegese da visão celibatária de Mateus, 19: Que há de ser a mulher senão uma adversária da amizade, um castigo Inevitável, um mal necessário, uma tentação natural, uma calamidade Desejável, um perigo doméstico, um deleite nocivo, um mal da natureza, Pintado de lindas cores. Portanto, sendo pecado dela divorciar-se, conviver Com ela passa a ser a tortura necessária: ou cometemos o adultério, Repudiando-a, ou somos obrigados a suportar as brigas diárias.

    Ora, o que tem haver os PEITÕES siliconados e suas bundas saradas, graças há horas a fio nas academias?
    Prostituição existe desde quando o mundo é mundo. Seja ele por obra e graça do “criador” ou da The Big Bang Theory.
    Prefiro as prostitutas que os políticos corruptos que se vendem por ai.
    Ou estou errada?
    Obs. Ainda não coloquei os meus PEITÕES- Estão em pleno lugar.
    Entretanto, ao chegar o dia que os mesmos desafiarem a lei da gravidade, não terei eu dúvidas em procurar a LEI do bisturi.

  14. Nilda Ferreira Costa disse:

    BRASIL, um dos maiores países do mundo! O terceiro em extensão territorial. Uma linda diversidade cultural, detentor do maior ecossistema, destacando-se em todo o cenário mundial por suas matas, flora e fauna, além das riquezas minerais que o classifica como a décima e, talvez seja a nação multirracial planeta TERRA. Pelos dados oficiais do Vaticano – que fazem do Brasil a maior nação católica do mundo. Não temos vulcões, terremotos e tsunamis. “Ai que lindo, que lindo, que lindo”
    É um país sem guerras (sic). Entretanto, temos traficantes, as guerras das milícias, corrupção em todos os altos escalões governamentais, despotismos e outras mazelas patrimonialistas. Não obstante, situa-se entre os de terceiro mundo. E Ainda, existem 13 milhões de analfabetos.
    Como todo país em desenvolvimento, tem os seus problemas: EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA PÚBLICA.
    Um governo que não defende as causas dos trabalhadores (POBRES) sejam eles negros ou brancos.
    As forças [públicas de segurança] são eficientes para conter a população e executarem “NARCOTRAFICANTES PÉS DE CHINELO”. INEFICAZES para conter a criminalidade, que aumenta com a desagregação social. A Polícia Militar é um resquício da ditadura, que continua com péssimos salários para soldados, cabos e sargentos. Logo estes que ficam no ‘front’ em um confronto. A formação e qualificação profissional “deixam a desejar”.
    Ora, ora, ora, onde estão os PLABOS ESCOBARES do século XXI? Como chegam aos morros armamentos de guerra? E as toneladas de drogas que foram apreendidas na ÚLTIMA INCURSÃO CIRCENSE mostrada por uma mídia que sobrevive de anúncios e financiamentos do BNDES e da “ainda nossa” Petrobrás?
    Convido-o coronel para uma visita no hospital público da qual sou uma servidora (HGV)
    Passe só uma noite- Um noite só.

  15. Fernanda Marcondes Ferraz disse:

    Caro Coronel Jorge da Silva,

    O substantivo “mulher” também se refere a um ser humano. …
    “Quando os seres humanos estão no poder, ambos são iguais, gostam do vil metal.”
    Só para uma breve reflexão em um passado não tão distante.

    MULHERES NO MERCOSUL
    Cristina Kirchner, Ieda Crusius,,a deputada distrital Eurides Brito (do dinheiro na bolsa). Ministra Matilde Ribeiro usa cartão corporativo para pagar suas contas pessoais nos aeroportos e grandes magazines. O dinheiro encontrado na casa de Eurides Brito “amiginha” de Roseana Sarney.A a Meritíssima juíza Olga Regina Guimarães, suspeita de estar envolvida com um dos maiores traficantes do mundo.
    A ex-ministra chefe da Casa Civil Erenice Guerra por pouco não levou a derrota de Dilma- Foi o que podemos chamar de “fogo amigo”
    Sádia Consuelo Cândido Pitanga, escrivã da Vara do Júri e Execuções Penais de Itabuna, foi acusada de intermediar a compra de “serviços” que beneficiava traficantes do sul da Bahia.
    As Juízas Lana Maria Fontes Regueira, da 8ª Vara Federal Cível do Rio, e Salete Maria Polita Maccalóz, da 7ª Vara Federal Cível.
    Lana é acusada de peculato, prevaricação e formação de quadrilha, enquanto Salete Maria Polita Maccalóz, O MPF encontrou uma série de irregularidades em que a mesma existe há um inquérito em que é investigada pela liberação de FGTS em ações coletivas que eram encabeçadas por associações de fora do Rio que manipulavam a distribuição dos processos para que eles caíssem nas mãos de juízes que já tinham concedido liminares. Os juízes têm fórum privilegiado- Lamentável! Hoje as duas são desembargadoras!
    As delegadas Maria Cecília de Castro Corrêa Sanches e Rosana da Silva Vanni, de São José do Rio Preto podem ser demitidas por falta grave em investigações preliminares que apontou falhas das delegadas durante os dois inquéritos que apuraram as denúncias de pedofilia em Catanduva.
    A governadora do Rio Grande do Sul Yeda Crusius Enfrentou uma série de acusações de ter usado caixa dois em sua campanha eleitoral.
    Benedita da Silva foi acusada de usar recursos da União para uma viagem espiritual à Argentina em 2003. Ela devolveu o dinheiro, mas foi exonerada por Lula em janeiro de 2004.
    Que Dilma possa fazer um bom governo de mãos limpas dos seus humanos SERES HUMANOS.
    O resto é dialética politiqueira essa coisa de COTAS!
    Abraços
    Bom Domingo.

  16. marcos antonio gonçalves disse:

    A constituição prevê a isonomia, tratar os iguais como iguais e os desiguais como desiguais. A história do Brasil deflagrou desigualdades econômicas, políticas , civis, sociais e culturais que têm que ser corrigidas. Há de se convir que não há o que corrigir coisas de gênero neste caso genética, num país que luta contra o preconceito sexual. Não há o que se falar em cotas para homens e mulheres pois competência independe de sexualidade, desta forma deveria haver cotas para homosexuais, bisexuais, etc….
    O nosso país já vive o vexame de eleger analfabetos seja homem ou mulher, dai prever cotas deixaria de atender ao intereese público da eficiência em prol da falta de preparo e vocação.

Envie o comentário


0/Limite de 1800 caracteres

Add video comment